segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

PhotoGraphein vai à Escola – Atividades com Arte Postal

Durante os meses de outubro e novembro, o projeto de extensão “PhotoGraphein vai à Escola”, vinculado ao Programa de Extensão Arte, Educação e Cidadania, realizou atividades com o objetivo de estabelecer a comunicação artística, através da Arte Postal, entre turmas de escolas distintas. Uma das escolas é a EMEF Joaquim Nabuco, localizada no bairro Areal, na cidade de Pelotas, cuja professora responsável pela turma é Amanda Corrêa, e a outra é a EMEF Pedro Carlos Peixoto Primo, situada na Querência, no Balneário Cassino, em Rio Grande, turma sob a responsabilidade da professora Xênia Velloso. Cabe destacar que ambas as professoras são pesquisadoras do PhotoGraphein – Núcleo de Pesquisa em Fotografia e Educação.

O tema proposto para estimular a produção fotográfica própria dos alunos foi o entorno da escola. As fotografias posteriormente foram usadas como base para a confecção dos postais junto a diversos materiais que estimularam a criação/expressão do aluno, assim como tecidos, papéis coloridos, figuras de revistas, dentre outros.

Os alunos do quarto ano da EMEF Joaquim Nabuco junto com a arte/educadora Amanda Corrêa e o bolsista do Photographein, Guilherme Sirtoli.

Na escola Joaquim Nabucco, em Pelotas, os alunos do quarto ano ficaram encantados com a ideia de poder se expressar através de imagens. Mesmo sendo relativamente jovens, foi interessante observar o senso de espaço que cada um possui. Uma das alunas disse aos colegas: “Não vamos mostrar só o que é bonito, mas tudo o que existe ao redor da nossa escola!”.

Uma das fotografias feitas pelos alunos do quarto ano da EMEF Joaquim Nabuco

Na escola Peixoto Primo, no Cassino, a atividade foi proposta para uma turma do oitavo ano da professora Xenia Velloso. Durante o primeiro encontro não foi possível realizar a saída fotográfica em função das condições climáticas. Sendo assim, no primeiro encontro foi proposto aos alunos que escolhessem temas para a elaboração dos postais através de colagem, e surpreendentemente o primeiro deles foi política. Os trabalhos explicitam a relação e o ponto de vista de cada um perante a atual situação política do país.

Alguns postais feitos pelos alunos do oitavo ano da EMEF Pedro Carlos Peixoto Primo, em Rio Grande.


A produção de fotografias foi realizada no segundo encontro, mostrando e dando enfoque para a praia, que fica a poucos metros da escola. Alguns alunos reclamaram da falta de apoio do município em pavimentar as ruas que cercam a escola e comentaram sobre o ligação forte que possuem com o mar, visto que o mesmo faz parte da convivência diária de cada um.


Algumas das imagens clicadas pelos alunos da Escola Peixoto Primo, mostrando a relação dos mesmos com a praia durante o segundo encontro da oficina.

A atividade foi de suma importância para realizar o intercâmbio entre as duas escolas, mostrando dois lugares extremamente distintos porém geograficamente próximos, um sendo no meio urbano de uma cidade e o outro nas margens do oceano. Os postais acabaram sendo uma forma de fazer os alunos encontrarem olhares similares aos seus perante um espaço diferente. A oficina aguçou o olhar de cada um e despertou o entusiasmo de desbravar um local novo por imagens.

A parte final da proposta será realizada no começo do próximo semestre, em 2017, quando serão enviados via correio os postais de uma escola para a outra, criando então o intercâmbio artístico através da Arte Postal. Após a chegada dos postais, realizaremos exposições em cada escola, exibindo os postais elaborados pelos alunos para as suas comunidades. 





sábado, 17 de dezembro de 2016

AÇÃO DE (RE) EXISTÊNCIA

No dia 31/10, o PhotoGraphein junto com o grupo do (RE)Existência UFPel realizou uma intervenção urbana com Lambes, no entorno do Centro de Artes. A proposta buscou dar visibilidade ao movimento de discentes/docentes/técnicos administrativos acerca das pautas levantadas pela universidade em seu momento de greve, ou seja, à PEC 55 (antiga 241) e a MP 476, que prejudicam não só a educação e a saúde, mas em especial o ensino das Artes nas escolas, assim como as disciplinas de Educação Física, Filosofia e Sociologia, essenciais a formação humanista das próximas gerações.

 Foto por: Lucas Machado 
                                       

sexta-feira, 18 de novembro de 2016

Photographein vai a Escola no Segundo Salão de Artes Visuais em Rio Grande

No dia 16 de novembro aconteceu a abertura oficial do 2º Salão de Artes Visuais da cidade de Rio Grande, intitulado "Paisagens Contemporâneas". O Salão tem por finalidade: incentivar a pesquisa e a criação em arte; oportunizar a fruição das Artes Visuais ao público de forma gratuita; e promover a execução de projetos e a produção artística em suas mais diversas linguagens, tendências e manifestações relativas à temática desta edição do evento.



Dentre os selecionados destacamos a obra de Xênia Velloso, professora da Escola Municipal Peixoto Primo (Cassino, Rio Grande) e pesquisadora do PhotoGraphein, e de suas alunas, Gabriela Vieira, Meryellem Berny, Thayane Crizel e Francine Bento, uma vídeo instalação que discute a relação do grupo com o entorno natural da escola e os problemas gerados pela presença constante da lama na beira da praia. Xênia Velloso coordena na escola o projeto de extensão “O PhotoGraphein vai à Escola”, de cujas atividades o grupo de estudantes participa, e que deram origem à obra artística apresentada no Salão. Estamos orgulhos@s da conquista das jovens pesquisadoras!


Fotografia: Cláudia Brandão

Fotografia: Cláudia Brandão 

 Fotografia: Guilherme Sirtoli

Coletivo: as alunas pesquisadoras Gabriela Vieira, Meryellem Berny, Thayane Crizel e Francine Bento junto com a Professora Xênia Velloso apresentando sua obra durante a abertura da exposição.

O 2º Salão de Artes Visuais conta com exposições, intervenções nas paisagens, oficinas e performances, que acontecem além da sala multiuso (Prefeitura Municipal de Rio Grande), mas também, no Centro Histórico e no Ateliê do Mercado Público, entre outros. Para conferir a programação completa do evento, acesse o link:
http://media.wix.com/ugd/8eeb18_95136febed75430a82890f8982a3836e.pdf






sexta-feira, 28 de outubro de 2016

Photographein no 5° Encontro Internacional Cidade, Contemporaneidade e Morfologia Urbana

Cartaz do Evento

Nos dias 20 e 21 de Outubro ocorreu o 5° Encontro Internacional Cidade, Contemporaneidade e Morfologia, promovido pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAUrb) da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), no qual o acadêmico Ítalo Franco apresentou a analise inicial dos dados de pesquisa realizada junto ao projeto Para-Formal na Fronteira [link], que contou com a participação dos integrantes do Photographein.
A pesquisa intitulada ‘OLHARES SOBRE A FRONTEIRA: Práticas da Carto/Foto/Graphia na pesquisa em Fotografia e Educação’discute sobre a prática da carto/photo/grafia (realizada pelo Photographein desde 2010), uma ação poética e artística que reescreve em imagens fotográficas a experiência da deriva (conceito trazido pelo movimento situacionista liderado por Guy Debord, entre as décadas de 1950 e 1960). Utilizando-se de seus registros fotográficos durante a viagem do Para-Formal, Ítalo recria um espaço-fronteira para além do visível, trazendo através de uma síntese simbólica algumas características fronteiriças presentes nas cidades visitadas. Traçando alguns paralelos entre elas.

Apresentação do Trabalho

Segue um trecho do resumo expandido:

A Mulher na Motocicleta - Chui/Chuy (2016) - Fotografia por Ítalo Franco

“A primeira fotografia (Figura 1), registrada no Chuí brasileiro, mostra uma mulher com um capacete, montada em uma motocicleta, e a segunda (Figura 2), outra mulher, desta feita sentada em um banco na Praça Artigas de Rio Branco (Uruguai), mexendo em sua bolsa. Através dessas imagens nós podemos identificar os diferentes ritmos desses espaços”.

A Mulher Sentada - Jaguarão/Rio Grande (2016) - Foto por Ítalo Franco

“A primeira de duas fronteiras com trânsito intenso, separadas apenas por uma avenida, o Chui/Chuy tem uma rotina diurna movimentada pelo comércio dos free shops, envolvendo seus moradores de todas as faixas etárias. A dignidade no olhar da mulher (Figura 1) e sua atividade em horário de pico me fazem crer que essa foto é uma síntese simbólica das minhas percepções quando ali estive. Já a segunda foto retrata um ritmo mais lento. Rio Branco, por sua vez, é distante de Jaguarão, sendo que as duas são separadas por um rio. Longe da zona dos free shops, a cidade é muito tranquila, com poucas pessoas nas ruas. A posição relaxada da mulher sentada (Figura 2), vasculhando sua bolsa como se possuísse todo o tempo do mundo contrasta com o outro registro, de uma rotina acelerada”.  

quinta-feira, 20 de outubro de 2016

Fotografia com Pipoca exibe: A Prova

E o Fotografia com Pipoca continua suas atividades! Nesta quarta-feira, 19/10, ocorreu no Centro de Artes a sua segunda edição, atividade de extensão vinculada ao projeto de pesquisa “Do Pincel ao Pixel” (UFPel/CNPQ), desenvolvido pelo grupo PhotoGraphein. O filme exibido foi o clássico “A Prova” de Jocelyn Moorhouse, tendo a Professora Teresa Lenzi (ILA/FURG) conduzindo os debates. Foi destacada a sensibilidade da diretora na elaboração da obra, assim como as questões acerca da fotografia e suas (re)apresentações do mundo, enfocando os três personagens que dão ritmo à trama.

A próxima exibição será do documentário Chevolution, apresentado pelo professor Marcus Spolle, encerrando as atividades do projeto em 2016, em data a ser divulgada. Para maiores informações sobre o Fotografia com Pipoca acesse o link do post [aqui].

Cartaz do Evento
Público da segunda parte do evento.

Público da segunda parte do evento.
Professora Teresa Lenzi levando a discussão sobre o filme, com o público






segunda-feira, 17 de outubro de 2016

Photographein na 2° Semana Integrada UFPel (SIEPE)




De 26 a 30 de Setembro ocorreu no Campus Anglo da Universidade Federal de Pelotas (UFPel) a 2° Semana Integrada de Ensino, Pesquisa e Extensão (SIEPE) a qual contou com quatro trabalhos de três integrantes do Photographein. Dois na categoria CIC (Iniciação Científica) e dois no CEC (Extensão e Cultura), orientados pela coordenadora do grupo Cláudia Mariza Mattos Brandão.

Da primeira categoria constam as pesquisas intituladas “Andy Warhol: Anotações sobre um fotógrafo-artista”, apresentada pelo acadêmico Guilherme Sirtoli, que visa aprofundar os conhecimentos sobre a fotografia, em suas diversificadas formas, e a obra do artista pertencente ao movimento da Pop Art - Andy Warhol ; e a pesquisa intitulada O Flanêur e a busca por suas memórias nas ruínas de General Câmara que aborda o sentimento de mortalidade trazido pelas casas e clubes abandonados da cidade de General Câmara, ressaltando a mediação da fotografia nas relações indivíduo x espaço, destacando-a como receptáculo de memórias, apresentada pelo acadêmico Ítalo Franco Costa.

Já no CEC foram apresentados os resultados de dois projetos de extensão: “Arteiros do Cotidiano”: Diálogo entre teoria e prática, apresentado pelo acadêmico Lucas Machado Campos, versando sobre os resultados do projeto Arteiros do Cotidiano, desenvolvido nas disciplinas de pré-estágio Artes Visuais na Educação II e III, cujas atividades em 2016 contemplaram estudantes das turmas de quinto ano da escola Felix da Cunha em Pelotas; e Processo de formação docente no “Photographein Vai a Escola”, apresentado pelo acadêmico Ítalo Franco Costa, dando visibilidade aos resultados de atividades extensionistas realizadas durante o ano de 2015, na EMEF Peixoto Primo (Cassino, Rio Grande/RS). Ambos destacam a importância da autoformação nos processos de formação docente em Artes Visuais, e a indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão.


Acadêmico Lucas Machado


Acadêmico Ítalo Franco

quinta-feira, 15 de setembro de 2016

Fotografia com Pipoca!



Nesta quarta-feira, 14/09, ocorreu no Centro de Artes a abertura da primeira edição do projeto extensionista "Fotografia com Pipoca", que compreende a exibição de filmes e a realização de rodas de conversas. A iniciativa está vinculada ao projeto de pesquisa "Do Pincel Ao Pixel" (UFPel/CNPQ), desenvolvido no PhotoGraphein, compartilhando com a comunidade em geral discussões acerca da fotografia e suas (re)apresentações do mundo através de obras fílmicas.
O primeiro filme apresentado foi "Blow-Up", do diretor Michelangelo
Antonioni, com o debate mediado pela professora Cláudia Brandão, coordenadora do Núcleo.
Nos próximos encontros teremos a professora Tereza Lenzi (ILA/FURG)debatendo sobre o filme "A Prova", no dia 19 de outubro, e o professor Marcus Spolle (IFIS/UFPel)apresentando o documentário "Chevolution", em 16 de novembro. As exibições acontecem no auditório do prédio 1 do Centro de Artes (Alberto Rosa, 62).


(Cartaz do primeiro dia de evento)


terça-feira, 30 de agosto de 2016

Olhares Sobre a Justiça Federal - Photographein Vai À Escola


Na comemoração de um ano da sala de Memória da Subseção Judiciária de Rio Grande, a única no interior do estado do Rio Grande do Sul, os alunos da EMEF Peixo Primo realizaram uma exposição de doze fotos intitulada OLHARES SOBRE A JUSTIÇA FEDERAL coordenada pela professora Xenia Velloso através do projeto “Photographein Vai à Escola”, uma parceria entre a escola e o grupo Photographein da Universidade Federal de Pelotas (UFPel) que vem sendo desenvolvido desde 2014. A exposição tinha como objetivo mostrar umSubseção diferente através do olhar poético e das reflexões acerca da fotografia geradas pelo grupo.
A exposição permanece na Sala de Memória da Justiça Federal do Rio Grande até o final deste ano, a visitação é aberta à comunidade, de segunda a sexta, das 13h às 18h. A localidade fica na rua Capitão Tenente Heitor Perdigão, Nº 55, 2º andar.


Selfie dos integrantes do Photographein núcleo de pesquisa.

Selfie dos integrantes dos alunos da EMEF Peixoto Primo.
Cartaz da exposição 

Fotografias da Exposição.









terça-feira, 16 de agosto de 2016

V Seminário Fotógrafos Históricos


Nos dias 6 a 8 de junho ocorreu no Museu de Arte Leopoldo Gotuzzo em Pelotas o V Seminário Fotógrafos Históricos, coordenado pela professora Paula Garcia Lima com colaboração de Juliana Angeli.
A quinta edição do evento além de abordar fotógrafos históricos proporcionou discussões sobre as relações da fotografia com movimentos de vanguardas artísticas e do design e as relações da fotografia com a memória.
No dia 6 o aluno Ítalo Franco apresentou o trabalho intitulado UM FLANEUR EM BUSCAS DAS MEMÓRIAS DE UMA CIDADE EM VIAS DE DESAPARIÇÃO, no qual discute o desaparecimento gradativo da cidade de General Câmara e os sentimentos que se esvaem sob a ação do tempo. Recorrendo à prática da flâneurie e aos registros fotográficos para tentar recompor histórias de um ambiente urbano em vias de desaparição. A investigação integra as ações do projeto de pesquisa “DO PÍNCEL AO PÍXEL: sobre as (re)apresentações de sujeitos/mundo em imagens”, desenvolvido no âmbito do PhotoGraphein – Núcleo de Pesquisa em Fotografia e Educação (UFPel/CNPq).

O trabalho já havia sido publicado na Revista Eletrônica Educação Ambiental em ação e pode ser acessado na íntegra através deste link: http://www.revistaea.org/artigo.php?idartigo=2136

Photographein na Primeira Jornada do LIPEEM

Como nunca na história, o ato de fotografar e postar imagens como afirmação de presença, se tornou mais importante do que a vivência dos indivíduos. O (auto)retrato pontua diferentes períodos da história da arte, elaborado através de diferentes linguagens. Hoje estamos na época dos selfies, momento em que as imagens fotográficas assumem um papel diferenciado no cotidiano das sociedades ocidentais.
Esta foi a introdução do tema A POTÊNCIA DISCURSIVA DO AUTORRETRATO NA PÓS-MODERNIDADE. Apresentado pelo acadêmico Ítalo Franco na 1° Jornada do LIPEEM/comunicação e cultura midiática, organizado pelo Laboratório Interdisciplinar de Pesquisa Ensino em Entretenimento e Mídias da Universidade Federal de Pelotas (UFPEL).
Apresentando resultados parciais de pesquisa realizada junto ao Photographein (Núcleo de Pesquisa em Fotografia e Educação) o acadêmico discute o autorretrato como ponto para reflexão acerca da “crise de identidade”, trazida pelo teórico Stuart Hall em seu livro A Identidade Cultural na Pós Modernidade (2003), e as práticas de divulgação da autoimagem na contemporaneidade e suas reverberações. Analisando os retratos de Luís XIV, o Rei Sol, na França do século XVII o acadêmico relaciona a potência discursiva do mesmo com a sua própria produção fotográfica usada nas redes sócias a fim de discutir os indícios de fragmentação da identidade dos indivíduos contemporâneos. 

segunda-feira, 11 de abril de 2016

Circulo das Águas na Livraria da UFPel

    E o PhotoGraphein mais uma vez está na Livraria UFPel, desta vez com a exposição CÍRCULO DAS ÁGUAS, originalmente apresentada no Festival de Fotografia Photofluxo, realizado no Balneário Cassino (Rio Grande) entre dezembro de 2015 e janeiro de 2016. 
    A cada ano o Núcleo busca um novo tema para as pesquisas, teóricas/acadêmicas e estéticas, focando em questões atuais que nos ajudem a melhor entender as relações da humanidade com o meio. Em 2015 a ÁGUA foi o tema escolhido. Realizamos viagens de estudo, à praia do Cassino e ao Arroio Pelotas, para registrar em imagens o ambiente que nos circunda. Após, as imagens foram associadas à palavra poética, dando origem ao “CÍRCULO DAS ÁGUAS - narrativas de sonhadores”, uma produção bibliográfica de artista. Como fruto de imersões poético-artísticas dos envolvidos, posteriormente as imagens, que sintetizam os sentimentos e percepções do grupo acerca do elemento ÁGUA, foram reunidas para a realização da coletiva.
     Na abertura da exposição no antigo prédio da Brahma, em Pelotas, foram desenvolvidas atividades de produção de textos literários a partir das fotografias do espaço que circunda a livraria, coordenadas por Gustavo Reginato. O material produzido pelos participantes resultará noutra produção de artista, um livreto que posteriormente será disponibilizado aos participantes, e estará à venda na livraria da UFPel. Uma das participantes da oficina, Eren Castellano postou uma fotografia em sua conta no instagram com um poema sobre a experiência:

“criadores de água de um céu de
pausa de março
chegaram e habitaram e coloriram e
lavaram”



Montagem do projeto:


Café e oficina:





Photographein e o Para-Formal na fronteira Brasil x Uruguay

Photographein e o Para-Formal na fronteira Brasil x Uruguay O projeto de pesquisa, ensino e extensão, coordenado pelos professores doutores Eduardo Rocha (FAURB) e Cláudia Mariza Mattos Brandão (Centro de Artes), está sediado no Laboratório de Urbanismo (LabUrb) da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAUrb).
O Para-Formal na Fronteira tem como objetivo estudar, observar e analisar a cultura, a para-formalidade, os moradores, arquitetura e planejamento das cidades que conectam a fronteira Brasil/Uruguay. Com uma equipe de 22 pesquisadores oriundos de diversos cursos da UFPel, incluindo os membros do PhotoGraphein, cada um com um subprojeto particular. 
A experiência possibilitou olhares únicos sobre a fronteira sul, fragmentando a região em múltiplos enfoques para que posteriormente possam ser reunidos, dando-nos uma visão mais ampla das realidades vivenciadas ao longo da fronteira Brasil-Uruguay.
Para investigar in loco os objetos de pesquisa, entre 14 e 19 de março foi realizada uma viagem de estudo pelos pesquisadores pelas cidades de Chui/Chuy, Jaguarão/Rio Branco, Santana do Livramento/Rivera, Quaraí/Artigas, Barra do Quaraí/Bella Unión e Aceguá/Aceguá.




Maiores detalhes sobre o projeto podem ser conferidos no site do projeto (http://www.paraformalnafronteira.com/)



O membro Ítalo Franco, ficou responsável por tratar a questão do Flaneur, o artista que perambulava pelas cidades captando as sensações e as impressões que muito são perdidas no dia a dia do cidadão local. O resultado foram fotos que mostram de uma forma delicada a percepção dele sobre a fronteira, a cultura, o modo de vida, a arquitetura e as pessoas que ali vivem.

Dia 1 - Chuí/Chuy


Dia 2 - Jaguarão/Rio Branco

Dia 3 - Santana do Livramento/Rivera


Dia 4 - Qaraí/Artigas


Dia 5 - Barra do Quaraí/Bella Unión


Dia 6 - Aceguá/Aceguá