terça-feira, 31 de maio de 2011

sábado, 28 de maio de 2011

 
Foto: Ricado Sena

Já é sabido que Londrina é uma das principais cidades no que diz respeito ao Estudo de Imagens. Ao longo do tempo foi se consolidando através de ações, como por exemplo, o Ineimagem - Encontro Nacional de Estudos da Imagem. Este encontro já ocorreu no presente ano com aproximadamente 300 trabalhos inscritos. Além desta ação, Londrina apresenta a Bienal de Arte Fotográfica Brasileira em Cores, neste ano em sua 17º edição. Este evento acaba por realçar a cidade no cenário brasileiro de fotoclubismo e da arte fotográfica. A abertura oficial foi no dia 20 de maio de 2011 no Museu Histórico de Londrina Padre Carlos Weiss, e teve como primeiro lugar a fotografia intitulada "Interferência no quintal" de Ricardo Sena. Outros trabalhos interessante podem ser observados no seguinte endereço: http://www.confoto.art.br/. Estes trabalhos e outros acabam por complementar a seguinte citação: "A temporalidade não é o tempo tal como ele é, ou seja tal como passa; é o tempo tal como dele nos lembramos ou como o imaginamos, como o percebemos e o negamos, uma vez que retemos o que não existe mais, e nos projetamos em direção ao que ainda não existe."

Referências:
Discursos Fotográficos. Universidade Federal de Londrina. Curso de Especialização em Fotografia: Práxis e Discurso Fotográfico. Mestrado em Comunicação - Londrina - PR, v.1, jan/dez.(2005).


Post de Xênia Velloso

quinta-feira, 26 de maio de 2011

domingo, 22 de maio de 2011

Exposição: (RE)EDITANDO IDENTIDADES

Rio Grande/RS, 19/05/2011


Rio Grande/RS, 19/05/2011


Rio Grande/RS, 19/05/2011


Rio Grande/RS, 19/05/2011


Post de Cláudia Brandão

sexta-feira, 20 de maio de 2011

Marc Ribaud

Fonte: http://www.marcriboud.com/marcriboud/accueil.html



Marc Riboud, fotógrafo francês, apresenta em seus registros momentos capturados em suas viagens pelo mundo, retratando as mais variadas situações como a Guerra do Vietnã, a China durante a Revolução Cultural e a sutileza de cenas do cotidiano. 

*título da foto:
Le peintre, surnommé Zazou, est à son aise, j'avais le vertige et je fermais les yeux chaque fois qu'il se penchait pour tremper son pinceau... 

Post de Chanaísa Melo

segunda-feira, 16 de maio de 2011

Banquete Antropofágico





A efemeridade dos conteúdos e a eternidade dos invólucros caracterizam a modernidade líquida problematizada por Zygmunt Bauman, configurando um retrato da contemporaneidade. Fazendo com que a vida flutue entre os prazeres do consumo e os horrores do acúmulo de lixo, a realidade assim descrita suscita seres desapegados, descolados da realidade, como que constituindo uma permanente vanguarda a favor do eterno recomeço.
Reciclar idéias numa produção audiovisual foi a proposta detonadora do vídeo Banquete Antropofágico, produzido pelos integrantes do PhotoGraphein – Núcleo de Pesquisa em Fotografia e Educação, FURG/CNPq. Essa produção coletiva deu origem à exposição de mesmo nome, apresentada no Centro Municipal de Cultura de Rio Grande (RS), em maio de 2010. Nela, as imagens e os sons se mesclaram com a intenção de possibilitar aos espectadores digerirem as qualidades do nosso tempo através da poética de cada artista.
Mário de Andrade em seu Manifesto conclama Contra o mundo reversível e as idéias objetivadas. Cadaverizadas. O stop do pensamento que é dinâmico. Sugerimos aos nossos espectadores a pausa reflexiva através de imagens-alimento do televisivo-antropofágico que nos leva à cegueira. Uma metáfora do alimento cultural, intelectual e comportamental instituído pela mídia.
O mundo líquido-moderno, assim como postula Bauman, abreviou drasticamente o lapso de tempo que separa o querer do obter, expondo as alegrias e o asco de ingerir o que o mundo nos encoraja e nos seduz a fazê-lo. A síndrome consumista é uma questão de velocidade, excesso e desperdício confrontando permanentemente o valor da novidade com o valor da permanência.
Hoje o olho do consumidor não resiste a dar uma espiada no valor de mercadoria do sujeito que deseja, somos o que comemos e comemos o que somos. Projetamos o mundo e todos os seus fragmentos animados e inanimados como objetos de consumo. Morte e vida das hipóteses. Da equação eu parte do Cosmos ao axioma Cosmos parte do eu. Subsistência. Conhecimento. Antropofagia. Eis a proposta de Mário de Andrade.
Juntamo-nos a eles, Bauman e Andrade, em prol de uma experiência pessoal renovada e da sobrevivência de nossa sociedade e de todos nós, dependentes que somos da rapidez com que os produtos são enviados aos depósitos de lixo e da velocidade e ‘eficiência’ da remoção dos detritos.

Vejam as imagens da exposição em: 

Post de Cláudia Brandão

sexta-feira, 13 de maio de 2011

Multiplicidade no tempo e espaço no Projeto Bancarte

    Na próxima sexta-feira, dia 13 as 18h acontecerá a abertura de mais uma mostra de Arte no Sindicato dos Bancários. Em sua segunda edição o Projeto Bancarte abre suas portas para duas artistas que compartilham a mesma prática: Fotografia Artística. Ambas alunas do Centro de Artes da UFPEL, Graziele Gomes e Luísa Planella que tem em comum além da formação, a técnica e suas pesquisas poéticas que permeiam temas referentes a subjetividade e imaginário presentes no cotidiano.

Luísa busca apresentar em suas fotografias uma maneira diferenciada de olhar o que passa, em nosso cotidiano, o tempo todo em velocidade constante. Refletindo sobre o conceito de olhar e ver. Já Graziele aborda as questões de identidade cultural, as múltiplas faces e reações do ser humano. Questionando os diversos personagens que constituímos com o tempo, máscaras que muitas vezes adquirimos de maneira defensiva diante do convívio coletivo.

No dia da abertura, haverá exibição de Vídeo Arte.

O Projeto

   O Projeto Bancarte é uma iniciativa da Coordenação de Cultura do Sindicato dos Bancários de Pelotas e Região que abriu suas portas disponibilizando um espaço alternativo para exposição artística em suporte bidimensional. Busca ser um espaço democrático, tanto em respeito as Artes quanto aos Artistas. Cada mostra permanece aberta a visitação durante três semanas, podendo qualquer artista inscrever-se para participar das exposições. A cada edição, uma equipe é posta em movimento, além dos artistas expositores, a produção de vídeo arte, cartazes, montagem, divulgação e curadoria formam um coletivo de ideias, na construção de um espaço democrático para a Arte e a Cultura. O Projeto conta com o apoio da RadioCom 104.5 FM 
 
Maiores informações pelo e-mail : projetobancarte@gmail.com
ou pelos fones: 53.81253734 / 53.84359240

Serviço:
Mostra de Arte: Multiplicidade no tempo e espaço
Fotografias de Graziele Gomes e Luísa Planella
Abertura: 13 de maio, 18h com exibição de Vídeo Arte
Visitação: de 16/05 a 03/06 de 13h30m a 17h30m
Local: Sindicato dos Bancários Pelotas, rua Tiradentes nº 3087, quase esq. Sta Tecla
Entrada Franca

Produção: Ana Isabel Côrrea e Juliana Charnaud


Post de Cláudia Brandão


quarta-feira, 11 de maio de 2011

Exposição: (RE)EDITANDO IDENTIDADES



 (RE)EDITANDO IDENTIDADES reúne obras dos pesquisadores do PhotoGraphein – Núcleo de Pesquisa em Fotografia e Educação, UFPel/CNPq, como representações de momentos reflexivos, individuais e coletivos, nos quais cada um, exercitando a autocrítica, se propôs a (auto)representar-se, no tempo sempre duplo da fotografia (o do que foi fotografado e o da fotografia propriamente dita).

Temos a certeza de que nos constituímos assim, nas trocas com o outro e na reflexão sobre as experiências. Integramos uma coletividade que de diferentes modos se subjetiva e se individualiza na construção das identidades, sempre moventes. Portanto, neste momento somos muitos e somos um só, na busca de relações íntegras, pensando o ser humano em seu permanente processo de construção.


Local: Escola de Belas Artes "Heitor de Lemos"
Cidade: Rio Grande/RS
Abertura: 19 de maio às 19 horas
Término: 3 de junho


Post de Cláudia Brandão

quarta-feira, 4 de maio de 2011

PhotoGraphein no ENEIMAGEM

Tatiana Brandão, Londrina/PR, abril de 2011

Tatiana Brandão, Londrina/PR, abril de 2011

Tatiana Brandão, Londrina/PR, abril de 2011

Post de Tatiana Brandão

terça-feira, 3 de maio de 2011

3º ENEIMAGEM

Começaram hoje, dia 3 de maio, as atividades do 3º Encontro Nacional de Estudos da Imagem que encerram no dia 6 de maio. O evento tem como objetivo reunir pesquisadores que abordem temas relativos às imagens e suas representações em pesquisas acadêmicas. Durante o encontro, pesquisadoras do Photographein apresentarão comunicações e será lançado o livro "Sob o Signo da Cegueira". Tatiana e Cláudia Brandão apresentam a comunicação intitulada "Questões de gênero em imagens fotográficas: um olhar sobre a obra de Cindy Sherman", e Chanaísa Melo aprensentará o trabalho "Cultura visual e memória: imagens da coleção Laneira Brasileira Sociedade Anônima".


Post de Cláudia Brandão