sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Nan quase não vem




Nan Goldin quase foi censurada pela Oi futuro - entidade cultural da empresa Oi - até então responsável pela mostra da fotógrafa. Há um tempo Nan clica o underground e a cultura queer da noite de Nova York. Suas imagens retratam a noite de forma explicita  com forte tom sexual por vezes,contudo sempre provocativa . Nan ao saber da noticia se dispôs a lutar contra a censura ao seu trabalho. Felizmente a mostra foi transferida  para o MAM, que  promete manter o mesmo formato projetado pela curadora. 



Post de Cássio Pinheiro

sábado, 19 de novembro de 2011

Young Gallery

É um espaço voltado para a exposição de imagens fotográficas de diferentes temáticas, apresentando o trabalho de diversos fotógrafos contemporâneos.

"Julio Bocca, Balé Argentino, Nova York 2000"





Fotografia de Patrick Demarchelier



Post de Chanaísa Melo

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Lightgraffi

O que significa lightgrafi? É uma palavra formada pela contracção de “light” (luz) e “graff”, abreviatuara de graffiti, ou seja, graffiti feito feito luz. Trata-se de uma disciplina artística recente que combina e unifica a técnica da escrita caligráfica e da fotografia em actos únicos e irrepetíveis. Olightgrafi é efémero e é isso que lhe confere beleza” (texto de Benjamin Júnior)

Confira a reportagem completa em: 

domingo, 6 de novembro de 2011

Luz, Vida, Movimento...


O híbrido entre a luz e o movimento pode enunciar a vida. Uma latência entre vida e arte, um estado da arte que precisa ser provocado, promovido, acionado!
O primeiro plano, o segundo plano, as sombras e a bermuda vermelha indicam não só a presença da criança, mas o potencial criador.



Essa é a força de potência que nos movimenta e nos possibilita a descoberta do ato de criar. Não só de criar imagens, mas de criar sonhos que possam nos ser mais densos e profundos e que possam nos fazer adentrar e entrelaçarmo-nos com tais imagens.





Quem olha vive e pode produzir novas leituras, novas imagens, novas diferenças; mas quem produz e olha o que produz, pode mergulhar em suas próprias diferenças, em suas transmutações...




 
A infância está na luz, nesses movimentos, na vida, está em nós! Precisamos acessá-las e quanto tão mais intenso vai sendo esse acesso, tão maravilhosa e solidária pode ir sendo a vida!



 
 
 
1 - Este trabalho é resultado da oficina de fotografia “Desenhando com a luz”, desenvolvida em 2010 durante o evento de comemoração do aniversário da Escola Municipal de Ensino Fundamental Cidade do Rio Grande - CAIC/FURG. Agradeço o convite da Profa. Belissa Saadi Vieira para realização da atividade; agradeço às bolsistas que colaboraram durante a oficina; e principalmente aos estudantes que se envolveram na produção de novos olhares.
 
2 - Texto e imagens de Cláudio Azevedo (claudiohifi@yahoo.com.br)

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

I Congresso Internacional de História Regional

Entre os dias 28 e 30 de setembro aconteceu o I Congresso Internacional de História Regional, colocando em pauta o debate sobre os caminhos e descaminhos percorridos pelo Mercosul em seus 20 anos de existência. O evento foi promovido pela Universidade de Passo Fundo (UPF), por meio do Programa de Pós-Graduação (PPGH) e do curso de graduação em História. Nele foram apresentadas com sucesso quatro pesquisas desenvolvidas no PhotoGraphein, enfocando questões relativas à memória e o futebol (Chanaísa Melo), ao orkut e à formação identitária (Maria Valéria dos Santos), ao graffiti na cidade de Pelotas (Cláudia Brandão, Bárbara Rody, Ester Cordeiro e Mariana Corteze) e às questões estéticas nas fotografias de Sebastião Salgado (Sílvio Franz). As comunicações integraram as atividades do Simpósio Temático Arte, Imaginários e Identidades na América Latina coordenado pelos professores Cláudia Mariza Mattos Brandão (UFPel) e Gerson Luís Trombetta (UPF).



Post de Claudia Brandão

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Fotografia e objetos

Os objetos são para nós como suportes de pensamento. No dia a dia utilizamos coisas que muito dizem sobre a pessoa que somos e nos transformamos. Carregamos nas nossas pesadas bolsas e mochilas objetos que são como partes de nosso corpo, neles depositamos nossa existência, nossos modos de vida, desejos e seguranças. Sem nossos objetos ordinários ficamos perdidos, somos tão ligados a eles que praticamente nem pensamos neles. Quem reflete sobre a escova de dente ou sobre a caneta velha de todo dia? Objetos somente são refletidos quando se veem demasiados, quando se tornam algo insustentável pelas veias do consumismo. No entanto, é raro pensarmos que eles, em distintas formas, números e graus, são parte de nós. Somos literalmente viciados em objetos. Vendo o artigo publicado no site http://obviousmag.org sobre o fotógrafo Jason Travis percebi o quão se presta a fotografia para o banal. Esta palavra “banal”, usualmente usada no seu sentido pejorativo, muito tem a contribuir com as nossas reflexões sobre o cotidiano e nossas práticas. O espetacular na maioria das vezes se encontra dentro do banal e fotografar as banalidades (vendo-as desta forma) é algo que a nossa sociedade, que almeja espetacularizar até o inútil, deveria realizar com mais frequência! 


Aí vai o link da série “Persona” do Flickr do J. Travis:


Post de Luisa Kuhl Brasil

sábado, 24 de setembro de 2011

Exposição: RECANTOS, FOTOGRAFIAS E HISTÓRIAS DO PATRIMÔNIO ARTÍSTICO E CULTURAL DO EXTREMO SUL DO BRASIL

Entre os dias  24 e 26, em junho passado, acadêmicos e professores do curso de História da Universidade de Passo Fundo e o grupo Photographein – Núcleo de Pesquisa em Fotografia e Educação (Centro de Artes/UFPel/CNPq), percorreram as cidades de Pelotas e Rio Grande, em visitações orientadas e passeios fotográficos. Tendo no patrimônio artístico-cultural das cidades de Pelotas e Rio Grande o seu foco principal, o curso de extensão RECANTOS, FOTOGRAFIAS E HISTÓRIAS DO PATRIMÔNIO ARTÍSTICO E CULTURAL DO EXTREMO SUL DO BRASIL buscou também estimular o espírito investigativo do grupo, relacionando fotografia e cotidiano.

E para a nossa felicidade o projeto rendeu frutos!! Como é possível conferir em:  http://historiaupf.blogspot.com/2011/09/impressoes-de-viagem-nova-exposicao-no.html
Dos passeios fotográficos e da parceria entre os dois grupos, resultou a exposição fotográfica Recantos, Fotografias e Histórias do Patrimônio Artístico e Cultural do Extremo Sul do Brasil. Através da mostra montada no Hall do IFCH/UPF, em Passo Fundo, podemos compartilhar diferentes visões/percepções do espaço sul-riograndense e da história regional. Período de visitação: 01 a 30 de setembro.

Museu Sacro, Rio Grande

Museu do Porto, Rio Grande

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Fotos feitas com o Instagram do iPhone

Fotógrafo Mastrangelo Reino entre Erica Garrida e Marine Sobel; imagem feita com o aplicativo Instagram, do iPhone


Link desta imagem, e da galeria de fotos: http://fotografia.folha.uol.com.br/galerias/4166-foto-social#foto-77736

Post de Chanaísa Melo

domingo, 4 de setembro de 2011

Arte em Movimento



 

Conheça mais sobre a técnica “Stop-motion” conferindo a proposta de Blu parao filme “Muto”, mesclando grafite, pintura, muros de uma cidade e fotografia. 



Post de Cláudia Brandão

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Carli Davidson


A série Shake da fotógrafa norte-americana Carli Davidson mostra o registro inusitado de cachorros no momento em que eles se sacodem para se secar. Antes de se dedicar à fotografia, Davidson trabalhou como tratadora de animais por mais de sete anos. Ela também foi fotógrafa do zoológico de Oregon e trabalhou junto a abrigos para animais.

Fonte: http://carlidavidson.photoshelter.com/gallery-image/Shake/G0000s_trsF9CDFI/I00004Ip8EJh.dW0

Post de Chanaísa Melo

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

(RE)DESENHANDO A CIDADE - Coletiva Fotográfica


 
O PhotoGraphein – Núcleo de Pesquisa em Fotografia e Educação, UFPel/CNPq, apresenta a exposição (RE)DESENHANDO A CIDADE que reúne imagens obtidas através da técnica “Foto da Lata”. Destacando a relação entre Fotografia e Cidade, Amanda Funari, Carine Rodriguez, Chanaísa Melo, Cláudia Brandão, Elisa Salengue, Flávio Forlin, Priscila Siqueira e Sílvia Escobar apresentam registros da paisagem urbana pelotense realizados através de uma técnica artesanal, característica dos primórdios da fotografia. As distorções provocadas pela utilização de latas como câmeras fotográficas surpreendem, despertam a curiosidade e geralmente encantam os espectadores, tão adaptados às facilidades da tecnologia digital.
A exposição ocupa a Sala “Antônio Caringi”, da Secretaria de Cultura de Pelotas, SECULT, com abertura prevista para 22 de agosto, às 19h. A visitação será de 23 de agosto a 9 de setembro de 2011, de segunda a sexta, das 8h às 14h.
 
 
Post de Cláudia Brandão

sábado, 20 de agosto de 2011

Revista: Discursos Fotográficos

A revista Discursos Fotográficos acaba de publicar seu último número, disponível em:
http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/discursosfotograficos. 

Confiram os artigos e outros itens de seu interesse.
 

Boa leitura!

Post de Cláudia Brandão

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Annie Leibovitz: A Vida Através das Lentes

Annie Leibovitz é um dos nomes mais populares da fotografia, e esse documentário de 2006, dirigido pela sua irmã Barbara Leivotiz, conta a vida e tragetória de Annie L., um pouco da história de sua familia, e como a fotografia se tornou sua paixão. O documentário em si não é inovador, afirmaria inclusive, que consiste em um documentário padrão, com narrativa linear. Porém, acredito que "Annie Leibovitz: Life Through Lens" se destaca pela(s) história(s) que relata, contadas pela própria Annie Leibovitz e por várias pessoas que trabalharam com ela, ao mesmo tempo que contextualiza as etapas, tratando um pouco do que acontecia na época em que foram tiradas suas inúmeras imagens. Uma das características mais interessantes é que o documentário vai além da celebridade Annie Leibovitz, relatando as experiências de uma forma íntima, e não distanciada. O fato da diretora ser sua irmã, pode ter contribuido bastante para isso. Outro ponto interessante é quando trata do relacionamento de Annie L. com Susan Sontag, e como essa parceria trouxe outras experiências para a fotógrafa, inclusive estéticas. 

Post de Tatiana Brandão, originalmente publicado em: http://imagensemovimento.blogspot.com/

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

James Reynolds

Last Suppers

Last Suppers é um conjunto de nove imagens criadas pelo londrino James Reynolds, as quais retratam os últimos pedidos dos prisioneiros norte-americanos, antes de ser cumprida a pena de morte, quando estão no chamado corredor da morte.



Post de Chanaísa Melo

domingo, 24 de julho de 2011

Evgen Bavcar


Fotógrafo, filósofo e cineasta esloveno apresenta em suas imagens técnicas como o alto contraste, composição da luz em lugares totalmente escuros, o uso de feiches, de sinos e do toque. Cego desde os 12 anos descobriu a fotografia ainda na adolescência. 


 http://www.zonezero.com/exposiciones/fotografos/bavcar/bavcar26.html

“O que quero dizer com o desejo de imagens é que quando imaginamos as coisas, nós existimos. Eu não posso pertencer a este mundo se não posso imaginá-lo à minha maneira. Quando uma pessoa cega diz: ‘Eu imagino’, isso significa que ele também tem uma representação interna da realidade externa” (Evgen Bavcar)

http://www.zonezero.com/exposiciones/fotografos/bavcar/



Post de Chanaísa Melo

Congresso Latino Americano de Fotografia de Estúdio

De 5 a 10 de novembro em São Paulo

Informações:  http://www.editoraphotos.com.br/eb2011/palestras.asp


Post de Chanaísa Melo 

terça-feira, 12 de julho de 2011

Livro: Camisa Brasileira



O fotógrafo Gilberto Perin transformou em livro, lançado recentemente, uma série de fotografias onde as cenas principais aconteceram nos vestiários de um time de futebol da 2ª divisão do campeonato gaúcho. As fotografias, que já foram expostas em exposição em Porto alegre, revelam um lado pouco falado e visto do esporte mais popular do Brasil. Com texto de Aldyr Garcia Schlee, o livro Camisa Brasileira já está nas livrarias.



Post de Luísa Brasil

sexta-feira, 8 de julho de 2011

Revista: Studium

A revista Studium acaba de abrir as páginas de sua mais nova edição.

Leia em studium 32:

# La imagen imaginada: notas sobre el cortometraje El pabellón alemán por Juan Millares [apresentando o curta metragem completo];

# Nas asas da mariposa: exibindo a obra de José Oiticica Filho por Andreas Valentin;

# Os coletivos e o redimensionamento da autoria fotográfico por Ronaldo Entler;

# Quando o tempo fugiu do instantâneo por Claudia Sanz;

# Paranoia: um delírio entre a poesia, a fotografia e o cinema por Susana Dobal;

# Curadoria: expressão e função social por Milton Guran;

# Na pele da imagem: fotografia e anacronismo por Mauricius Martins Farina.

http://www.studium.iar.unicamp.br/


Post de Cláudia Brandão

sábado, 2 de julho de 2011

Slava Mogutin

Slava Mogutin, fotógrafo russo exilado em Nova York por assumir sua condição sexual, faz recortes de sua intimidade com amigos sempre extraindo imagens de forte apelo homoerótico hedonista e fetichista. Mogutin também trabalha com outras linguagens visuais, como pintura, escultura e vídeo, além de ser escritor. Confira no site oficial: http://www.slavamogutin.com/





*As três imagens estão no site oficial do artista mencionado acima.

Post de Cássio Pinheiro

terça-feira, 28 de junho de 2011

Rosângela Rennó

Red Series (Militares). 2000. http://www.rosangelarenno.com.br/obras/exibir/14/2

Rosângela Rennó é uma fotógrafa que trabalha com conceitos. Convergindo imagens e palavras, memórias e esquecimentos, a fotógrafa constrói sua arte ressignificando os usos da fotografia. Por meio de seus arquivos pessoais, a poesia e a filosofia vêm à tona na arte desta fotógrafa, onde a apropriação das imagens constitui uma nova forma de olhar. Vale a pena conferir seu site http://www.rosangelarenno.com.br/, não somente para conhecer um pouco de sua obra mas também para ter acesso a alguns textos disponíveis para download. 


Post de Luísa Kuhl Brasil

sábado, 25 de junho de 2011

Arquivo fotográfico: Médiatheque de L’Architecture et du Patrimoine

http://www.mediatheque-patrimoine.culture.gouv.fr/fr/archives_photo/index.html


Este é o link do arquivo fotográfico da biblioteca de mídia da Arquitetura e Patrimônio da França, responsável pelo recolhimento, sistematização, preservação e disponibilização de informações a respeito da história cultural, arquitetônica e patrimonial do país registrada por diversos fotógrafos como Nadar, G. Bourdon, entre outros.


Post de Chanaísa Melo

quinta-feira, 23 de junho de 2011

Francesca Woodman

A fotógrafa estadunidense Francesca Woodman é uma artista que me chama muita atenção.

Fonte: http://arrumario.blogspot.com/2005/02/francesca-woodman.html

Infelizmente não se encontra muito material sobre ela em português. Apesar de Woodman ter se suicidado aos 22 anos em 1981, deixou um número expressivo de imagens. Imagino que suas exposições devem ser uma experiência única. Imagens belas, e intimistas. 

Disponibilizo aqui dois artigos interessantes sobre a artista (ambos em inglês):



Post de Tatiana Brandão

sábado, 11 de junho de 2011

Fazendo do comum o extraordinário

O artista Terry Border criou uma série de imagens, onde utiliza objetos do nosso dia-a-dia de forma extraordinária. Usando alimentos, utensílios de cozinha e outros artefatos banais, o artista constrói cenas inusitadas.  

Título: Bad Cheese






Post de Luísa Kuhl

terça-feira, 7 de junho de 2011

Chema Madoz

O fotógrafo espanhol Chema Madoz é considerado o Dali da fotografia. Suas imagens são caracterizadas por apresentarem diferentes percepções e significados sobre os objetos do cotidiano.

Fonte: http://www.chemamadoz.com/gallery1.htm

Post de Chanaísa Melo

sexta-feira, 3 de junho de 2011

Brigida Baltar

Brígida Baltar, artista que surgiu nos anos 90, vive e trabalha no Rio de Janeiro. Sua produção inclui principalmente desenhos, vídeos e fotos, sempre em experimentação constante.

Foto de Brigita Baltar (fonte: http://celezinski.blogspot.com/)
Os trabalhos não são narrativos - são fragmentos, atmosferas ou sugestões, embora Brígida goste de histórias. Seus vídeos têm no máximo de 1 a 5 minutos e em geral partem de pequenas ações que trazem uma mistura intencional de realidade e fantasia, passando pelas vivências diárias - que importam na medida em que estão refletindo sentidos universais. Algumas de suas imagens revelam a sua ligação com os aspectos da natureza. Usa estes elementos como um diálogo da subjetividade e efemeridade dos materiais.


Post de Sílvio Franz 

terça-feira, 31 de maio de 2011

sábado, 28 de maio de 2011

 
Foto: Ricado Sena

Já é sabido que Londrina é uma das principais cidades no que diz respeito ao Estudo de Imagens. Ao longo do tempo foi se consolidando através de ações, como por exemplo, o Ineimagem - Encontro Nacional de Estudos da Imagem. Este encontro já ocorreu no presente ano com aproximadamente 300 trabalhos inscritos. Além desta ação, Londrina apresenta a Bienal de Arte Fotográfica Brasileira em Cores, neste ano em sua 17º edição. Este evento acaba por realçar a cidade no cenário brasileiro de fotoclubismo e da arte fotográfica. A abertura oficial foi no dia 20 de maio de 2011 no Museu Histórico de Londrina Padre Carlos Weiss, e teve como primeiro lugar a fotografia intitulada "Interferência no quintal" de Ricardo Sena. Outros trabalhos interessante podem ser observados no seguinte endereço: http://www.confoto.art.br/. Estes trabalhos e outros acabam por complementar a seguinte citação: "A temporalidade não é o tempo tal como ele é, ou seja tal como passa; é o tempo tal como dele nos lembramos ou como o imaginamos, como o percebemos e o negamos, uma vez que retemos o que não existe mais, e nos projetamos em direção ao que ainda não existe."

Referências:
Discursos Fotográficos. Universidade Federal de Londrina. Curso de Especialização em Fotografia: Práxis e Discurso Fotográfico. Mestrado em Comunicação - Londrina - PR, v.1, jan/dez.(2005).


Post de Xênia Velloso

quinta-feira, 26 de maio de 2011

domingo, 22 de maio de 2011

Exposição: (RE)EDITANDO IDENTIDADES

Rio Grande/RS, 19/05/2011


Rio Grande/RS, 19/05/2011


Rio Grande/RS, 19/05/2011


Rio Grande/RS, 19/05/2011


Post de Cláudia Brandão

sexta-feira, 20 de maio de 2011

Marc Ribaud

Fonte: http://www.marcriboud.com/marcriboud/accueil.html



Marc Riboud, fotógrafo francês, apresenta em seus registros momentos capturados em suas viagens pelo mundo, retratando as mais variadas situações como a Guerra do Vietnã, a China durante a Revolução Cultural e a sutileza de cenas do cotidiano. 

*título da foto:
Le peintre, surnommé Zazou, est à son aise, j'avais le vertige et je fermais les yeux chaque fois qu'il se penchait pour tremper son pinceau... 

Post de Chanaísa Melo

segunda-feira, 16 de maio de 2011

Banquete Antropofágico





A efemeridade dos conteúdos e a eternidade dos invólucros caracterizam a modernidade líquida problematizada por Zygmunt Bauman, configurando um retrato da contemporaneidade. Fazendo com que a vida flutue entre os prazeres do consumo e os horrores do acúmulo de lixo, a realidade assim descrita suscita seres desapegados, descolados da realidade, como que constituindo uma permanente vanguarda a favor do eterno recomeço.
Reciclar idéias numa produção audiovisual foi a proposta detonadora do vídeo Banquete Antropofágico, produzido pelos integrantes do PhotoGraphein – Núcleo de Pesquisa em Fotografia e Educação, FURG/CNPq. Essa produção coletiva deu origem à exposição de mesmo nome, apresentada no Centro Municipal de Cultura de Rio Grande (RS), em maio de 2010. Nela, as imagens e os sons se mesclaram com a intenção de possibilitar aos espectadores digerirem as qualidades do nosso tempo através da poética de cada artista.
Mário de Andrade em seu Manifesto conclama Contra o mundo reversível e as idéias objetivadas. Cadaverizadas. O stop do pensamento que é dinâmico. Sugerimos aos nossos espectadores a pausa reflexiva através de imagens-alimento do televisivo-antropofágico que nos leva à cegueira. Uma metáfora do alimento cultural, intelectual e comportamental instituído pela mídia.
O mundo líquido-moderno, assim como postula Bauman, abreviou drasticamente o lapso de tempo que separa o querer do obter, expondo as alegrias e o asco de ingerir o que o mundo nos encoraja e nos seduz a fazê-lo. A síndrome consumista é uma questão de velocidade, excesso e desperdício confrontando permanentemente o valor da novidade com o valor da permanência.
Hoje o olho do consumidor não resiste a dar uma espiada no valor de mercadoria do sujeito que deseja, somos o que comemos e comemos o que somos. Projetamos o mundo e todos os seus fragmentos animados e inanimados como objetos de consumo. Morte e vida das hipóteses. Da equação eu parte do Cosmos ao axioma Cosmos parte do eu. Subsistência. Conhecimento. Antropofagia. Eis a proposta de Mário de Andrade.
Juntamo-nos a eles, Bauman e Andrade, em prol de uma experiência pessoal renovada e da sobrevivência de nossa sociedade e de todos nós, dependentes que somos da rapidez com que os produtos são enviados aos depósitos de lixo e da velocidade e ‘eficiência’ da remoção dos detritos.

Vejam as imagens da exposição em: 

Post de Cláudia Brandão

sexta-feira, 13 de maio de 2011

Multiplicidade no tempo e espaço no Projeto Bancarte

    Na próxima sexta-feira, dia 13 as 18h acontecerá a abertura de mais uma mostra de Arte no Sindicato dos Bancários. Em sua segunda edição o Projeto Bancarte abre suas portas para duas artistas que compartilham a mesma prática: Fotografia Artística. Ambas alunas do Centro de Artes da UFPEL, Graziele Gomes e Luísa Planella que tem em comum além da formação, a técnica e suas pesquisas poéticas que permeiam temas referentes a subjetividade e imaginário presentes no cotidiano.

Luísa busca apresentar em suas fotografias uma maneira diferenciada de olhar o que passa, em nosso cotidiano, o tempo todo em velocidade constante. Refletindo sobre o conceito de olhar e ver. Já Graziele aborda as questões de identidade cultural, as múltiplas faces e reações do ser humano. Questionando os diversos personagens que constituímos com o tempo, máscaras que muitas vezes adquirimos de maneira defensiva diante do convívio coletivo.

No dia da abertura, haverá exibição de Vídeo Arte.

O Projeto

   O Projeto Bancarte é uma iniciativa da Coordenação de Cultura do Sindicato dos Bancários de Pelotas e Região que abriu suas portas disponibilizando um espaço alternativo para exposição artística em suporte bidimensional. Busca ser um espaço democrático, tanto em respeito as Artes quanto aos Artistas. Cada mostra permanece aberta a visitação durante três semanas, podendo qualquer artista inscrever-se para participar das exposições. A cada edição, uma equipe é posta em movimento, além dos artistas expositores, a produção de vídeo arte, cartazes, montagem, divulgação e curadoria formam um coletivo de ideias, na construção de um espaço democrático para a Arte e a Cultura. O Projeto conta com o apoio da RadioCom 104.5 FM 
 
Maiores informações pelo e-mail : projetobancarte@gmail.com
ou pelos fones: 53.81253734 / 53.84359240

Serviço:
Mostra de Arte: Multiplicidade no tempo e espaço
Fotografias de Graziele Gomes e Luísa Planella
Abertura: 13 de maio, 18h com exibição de Vídeo Arte
Visitação: de 16/05 a 03/06 de 13h30m a 17h30m
Local: Sindicato dos Bancários Pelotas, rua Tiradentes nº 3087, quase esq. Sta Tecla
Entrada Franca

Produção: Ana Isabel Côrrea e Juliana Charnaud


Post de Cláudia Brandão